A MUSICA QUE OUVE É UMA OFERTA DA BRIGHAM YOUNG UNIVERSITY

terça-feira, 14 de abril de 2009

A parábola da Vinha

Isaías 5-12


Isaías 5:1-25

A grande pergunta no verso 4 sintetiza o sentido e confronta todos nós, Casa de Israel moderna, quanto a nossa produtividade espiritual: Como uma vide excelente pode produzir um fruto ruim? A planta é boa! A terra é boa! O lugar está protegido contra ataques de plantas daninhas ou animais! A lei natural diz que a fruta será boa. Mas falamos de seres humanos, e quando falamos de seres humanos sabemos que estão sob uma lei que garante a possibilidade de produzirmos “frutos maus” – ARBÍTRIO.

A fim de providenciar uma compreensão melhor da parábola da vinha, cada aluno recebeu um gráfico com as imagens que compõe a parábola. O exercício envolverá a interpretação dos elementos e a identificação de princípios.
(ver gráfico)

Algumas referências complementares para o estudo da aplicação da parábola:

Alma 5:35-36-Você foi chamado para dar bons frutos(obras de retidão)
Alma 40:26-Os íniquos beberão da taça amarga com o produto de seus atos.
Moroni 8:25-26 – os frutos de uma planta excelente.D&C 52:14-21 – O modelo para produzir frutos dignos.

Os “Ais” de Isaías ou os frutos dos filhos de Israel Apóstata

v. 8-10 – Espoliação do bem inalianável – a terra - e o estabelecimento de uma cultura de latifúndio opressor. (ver Levíticos 25:23-28) A perda da posse da terra representava a perda da autosuficiência. Espiritualmente significava a perda de uma herança ou morada no reino de Deus. Este tipo de situação leva a improdutividade.

v.11-17 – Uma vida levada na busca dos prazeres mundanos e sem qualquer propósito digno. Diversão vã e fuga de uma realidade. Não existe um compromisso com a obra de Deus, fecham seus olhos para não sofrer qualquer influência em suas vidas. Isto resulta em uma vida de ignorância, violência, medo e improdutividade.
v. 18-19 – Nas notas de rodapé de 2 Néfi 15:18-19, a explicação da expressão usada, significa: Estão atados a seus pecados como animais a suas cargas. Estão amarrados firmementes a pecados, carregam estas cargas e querem ver para crer no Messias. Isso leva a improdutividade.
v. 20 – Inversão de valores morais. Levam a iprodutividade.

v.21 – Racionalizar sua conduta. Leva a improdutividade.

v. 22 – Fraquezas de caráter ou a busca de ânimo por meio de drogas ou outras substância que causam depência, pela incapacidade de lidar com seus problemas espirituais ou falta de autoconfiança. Isso leva a improdutividade

v. 23 – Desonestidade e corrupção. Para com Deus e para com os homens. Leva a improdutividade.

v. 24 -30 - A punição.

O chamado do profeta , De acordo com vídeo, qual o papel de um profeta?

Que aspectos do chamado de Isaías mais lhe chamaram a atenção? A visão de Cristo em seu trono. A glória e santidade Dele. A visão ter ocorrido no Templo. Isaías julgar-se impuro (lábios), A purificação de seus lábios por uma brasa, etc.

Afinal que missão é essa de Isaías, Falar para que não entendam nem ouçam nem vejam? Isso é possível? Ocorre em nosso meio? (remeter ao filme, tinha um dormindo) Mas afinal de quem é a culpa: do profeta, da mensagem ou do ouvido?

Visões do Futuro que Isaías passou a Israel



Isa 7:14-15-O Nascimento de Emanuel
Em meio a sua conversa com Acaz, Isaías propõe um sinal nunca visto na Casa de Israel. Muitas mulheres estéreis na história do povo de Isarel haviam, pelo poder de Deus, concebido. Mas Isaías apresentava um sinal nunca antes visto, uma virgem conceberia! Um longo tempo passaria antes que esta profecia messiânica fosse plenamente cumprida na concepção de Maria e no nascimento humilde de Jesus Cristo, que tornou possível o significado do nome Emanuel – Deus está conosco!
A manteiga e o mel eram alimentos característicos do povo nômade, suas cabras produziam o leite que origina a manteiga ou qualhada e o no deserto facilmente encontrava-se colméias de abelhas. Estes sinais descrevem uma das características marcantes de Jesus Cristo. Durante o início de sua vida el viajou para diversos lugares até estabelecer-se em Nazaré. A movimentação constante caracterizou o seu ministério. Percebe-se o quão clara era a perspectiva de Isaías



Isa 9:1-7-O Ministério de EmanuelA descrição do Reino de Emanuel é instigante quando relacionamos com a vida de Cristo. As terras de Gileade e Zebulon eram chamadas de Galiléia no tempo de Cristo, de fato sua ligação com esta região montanhosa é tão forte que a alcunha de “galileu” foi-lhe dada (Mateus 26:64) era um local de refúgio das constantes perseguições que sofria dos judeus. Todos os seus apóstolos, com exceção de Judas Iscariotes eram da Galiléia. Nas suas montanhas encontra-se o monte Tabor (umbigo) onde é provável que tenha ocorrido a transfiguração de Cristo (Mateus 17:1-3).

Nesta região, ao norte, pode-se dizer era a primeira a receber os ataques das nações inimigas como Assíria e Babilônia. Muitas vezes foi quase totalmente destruída. Seu povo consequentemente era um povo sofrido eram menosprezados pelos moradores de Jerusalém chamados de ignorantes ou rebeldes. Bem dito por Isaías, esta terra tornou-se enobrecida pela constante visitas de Cristo (João 4:43-54). Nela também estava a terra de Samaria, local de morado dos samaritanos, povo execrado pelos judeus e que muitas vezes foi exaltado por Cristo em diálogos e e parábolas (João 4:1-42; Lucas 10:29-36)



Nenhum comentário: